Dicas Soin

Dicas Soin

Qual é a melhor forma de mudar de casa?

Qual é a melhor forma de mudar de casa?

Mudar de casa é sempre uma tarefa estressante e cansativa. É um processo que exige cuidado em todas as etapas, da embalagem de seus pertences, passando pelo carregamento até o veículo, tem o transporte até a nova residência, a retirada de todos os móveis e caixas e, por fim, desembalar tudo, guardar roupas e objetos e posicionar os móveis.

Com a correria do dia a dia, é cada vez mais frequente a pergunta: é melhor realizar a mudança sozinha – ou melhor, com a ajuda de parentes e amigos – ou contratar uma empresa especializada no serviço?

Bem, é preciso analisar os prós e os contras das duas opções, antes de fazer uma escolha.

No caso de você mesma fazer a mudança, a maior vantagem é, logicamente, a economia com o custo tanto de pessoal quanto de transporte. Outro ponto positivo é sua liberdade quanto ao dia e horário para realizar a mudança, já que você não precisa se adequar ao cronograma de uma empresa. Além disso, você tem o controle da situação e está presente em todas as etapas.

Mas nem tudo são flores. Se você for contar com a ajuda de amigos ou parentes, terá que se adequar à disponibilidade deles – e corre o risco de alguém furar com o compromisso e não participar da mudança.

Sua inexperiência (e a dos ajudantes) nessa atividade pode causar problemas como atrasos e demoras, além de possíveis prejuízos durante o transporte, como os pequenos incidentes que resultam em estrago dos pertences. Além disso, você ou seu marido podem não estar habilitados para dirigir um veículo próprio para transporte (pickups, caminhonetes ou caminhão), caso precise alugar um.

Contratar uma empresa especializada no serviço também tem os dois lados da moeda. A maior vantagem, é claro, é que você não vai se cansar fisicamente e ainda economiza tempo para fazer alguma outra coisa enquanto a mudança acontece, caso sua rotina seja bem corrida.

Algumas empresas oferecem inclusive o serviço de empacotamento dos objetos, fornecendo as caixas, plástico-bolha e outros materiais de proteção. E vale lembrar que são profissionais realizando a atividade, o que significa uma menor probabilidade de incidentes que resultem em prejuízos. Além disso, você será indenizada caso aconteça a perda ou dano de algum pertence, mas isso pode variar dependendo da empresa contratada.

Mas também existem problemas. O primeiro é o custo, que pode não sair barato. Por isso mesmo, será preciso gastar um tempo pesquisando e fazendo orçamentos para encontrar o valor que caiba em seu bolso.

Você vai precisar ter uma boa conversa com os profissionais para que tudo saia como planejado, desde o encontro no ponto de partida até a entrega, passando pela indicação onde descarregar os móveis.

E tem a questão da confiança: seus objetos pessoais e de valores passarão pelas mãos de estranhos e, mesmo que haja ressarcimento em caso de prejuízo, sempre há pertences com valor afetivo que podem não ser recuperados através de dinheiro.

Como se vê, é preciso pesar muito bem os prós e contras antes de tomar a decisão sobre como realizar a mudança da casa. Uma dica? Dê uma olhada nas perguntas abaixo. É bem possível que as respostas irão ajudá-la a fazer a melhor escolha:

Tempo: você tem disponibilidade para empacotar, carregar caixas, transportar, descarregar, desempacotar e arrumar tudo?

Materiais: tem acesso a caixas de papelão, plástico bolha e panos para proteção dos móveis?

Elevadores: há elevadores tanto no prédio antigo quanto no novo? Além disso, os móveis cabem nos elevadores ou tudo terá que ser transportado pelas escadas?

Forma física: você consegue carregar móveis, eletrodomésticos e caixas pesadas? Vai ter ajuda de outras pessoas?

Transporte: você terá à disposição automóveis que ajudam no transporte dos pertences? Haverá custos?

Custos básicos: quanto custará o combustível para os veículos e a alimentação para os ajudantes?

 



Dicas de organização pessoal?

Blog Ana Afonso