Dicas Soin

Dicas Soin

Acidentes domésticos aumentam em período de férias

Acidentes domésticos aumentam em período de férias

Pequenas atitudes e muita atenção podem reduzir incidentes

As férias escolares, ansiosamente aguardadas pelas crianças, também costumam ser bastante temidas pelos pais. Não é à toa: o número de acidentes domésticos nesses períodos costuma aumentar em até 20%, o que pode substituir felicidade por tristeza em muitos lares.

Com o tempo livre em casa, no quintal e até na calçada, qualquer objeto ou brincadeira podem significar um possível acidente, por isso os adultos devem ficar atentos o tempo todo.

É claro que não dá para evitar todos os incidentes, mas há maneiras e atitudes que ajudam na prevenção dessas eventualidades, como adotar protetores de tomadas para evitar choques elétricos – assim como manter ocultos os fios dos aparelhos eletrodomésticos.

Janelas devem sempre estar protegidas por grades ou telas, para evitar as quedas. Não deixe móveis próximos das janelas, para que não sejam utilizados pelos pequenos como escada – vale lembrar que tudo é novo para eles e uma janela significa uma nova experiência.

A cozinha é o lugar mais perigoso da casa e o sinal precisa ficar sempre vermelho quando a criança estiver nesse cômodo. Mesmo com proteção térmica, os guris devem manter distância do fogão e do forno, o registro do gás deve ficar desligado quando não estiver em uso e os cabos das panelas precisam sempre ficar virados para dentro, o que previne possíveis esbarrões.

Os armários têm que ser fixados à parede e é recomendável que suas gavetas sejam trancadas à chave. Caso o móvel não tenha esse recurso, objetos cortantes como os talheres devem ficar fora do alcance das crianças.

No banheiro, é aconselhável que o piso seja antiderrapante para evitar queda, o vaso sanitário precisa ficar com a tampa abaixada e os produtos de higiene não podem ficar no chão – lembre-se que xampus são coloridos e cheirosos, o que chama a atenção das crianças.

É o mesmo caso dos produtos de limpeza: jamais podem ficar ao alcance das crianças e não utilize embalagens como garrafas de refrigerantes para depositar amaciantes ou água sanitária, pois podem ser confundidos com bebidas e serem consumidos.

Há, ainda, muitas outras pequenas atitudes que previnem acidentes, como adotar calçados anatômicos com solado antiderrapante, verificar os brinquedos para certificar-se de que não há partes que podem ser engolidas e retirar os tapetes e outros objetos que provocariam escorregões ou tropeções.

No entanto, o fato é que não é possível ter o controle total, por isso o mais recomendável é, além das medidas preventivas, manter um bom diálogo com as crianças, explicando os perigos de algumas situações e quais atitudes devem ser evitadas – afinal até uma planta dentro de casa, aparentemente inofensiva, pode ser perigosa se ingerida.

Mas os pais não devem impedir as crianças de brincar, afinal a infância é a fase de desenvolvimento das habilidades físicas e cognitivas, e toda atividade estimula seu processo de crescimento. Portanto, toda brincadeira é uma descoberta e deve ser incentivada. Mas sempre com os olhos e asas de coruja por perto.

 



Dicas de organização pessoal?

Blog Ana Afonso